COMENTÁRIO sobre O Grande Conflito, cap. 28 – O Grande Juízo Investigativo

Texto original:
https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/sop/gc/28

O que está escrito a seu respeito nos arquivos? Você já teve a oportunidade de ver os apontamentos feitos pelas empresas onde trabalhou? O que dizem seus registros escolares? O que dizem seus registros médicos? Lembro-me de ter tido a oportunidade de revisar os registros da minha escola e não ter ficado muito impressionada com alguns dos comentários dos meus professores. “Tem potencial” era um refrão comum que nem sempre correspondia às notas recebidas. Embora os testes tivessem me colocado na faixa dos “talentosos” e eu achasse que estava indo muito bem na escola, na verdade eu era uma criança muito distraída. Honestamente, eu não conseguia entender por que tinha que ficar sentada atrás de uma mesa o dia inteiro, quando havia tantas coisas maravilhosas que eu poderia estar fazendo e, assim, sonhava acordada na escola e não tinha notas excepcionais.

Estou muito mais preocupada com os arquivos celestiais, pois: “O livro da vida contém os nomes de todos os que já entraram no serviço de Deus”. (O Grande Conflito, p. 480) Se minha salvação no julgamento final dependesse unicamente do registro de minhas ações e pecados, não ficaria muito feliz em ver escrito ali: “tem potencial”. Felizmente, “Todos os que verdadeiramente se arrependeram do pecado, e pela fé reivindicaram o sangue de Cristo como seu sacrifício expiatório, receberam perdão escrito ao lado de seus nomes nos livros do céu”. (O Grande Conflito, p. 483). Que promessa maravilhosa é essa! Não se trata mais do meu potencial, mas da minha conexão com Cristo e dos registros perfeitos que Ele tem a meu respeito.

E quanto a você? Tem a palavra “perdão” escrita ao lado do seu nome no livro da vida?

Karen Lifshay
Corista da Igreja ASD de Hermiston, Oregon, EUA.

Leitura correspondente no livro GC:
http://ellenwhite.cpb.com.br/livro/index/1/479/491/o-grande-juizo-investigativo

COMENTÁRIO sobre O Grande Conflito, cap. 27 – Como Alcançar Paz de Alma

Texto original:
https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/sop/gc/27

A palavra superficial tem muitos significados: pode significar estar na superfície, raso ou artificial. Pode parecer muito bom – até você olhar mais de perto. Ele não se mantém sob exame minucioso. Lembro-me de quando o pior insulto era chamar alguém de superficial. Era um bloqueio instantâneo. Talvez seja por isso que muitos estão bloqueados quando olham para a igreja hoje. Acredito que muitos estão procurando uma conexão profunda e genuína, mas quando encontram membros satisfeitos com um relacionamento superficial, começam a se perguntar se tudo é falso. Eles suspeitam de um Jesus que não realiza mudanças duradouras em Seus seguidores e se afastam da religião com um gosto amargo. Eles vêem uma igreja cheia daqueles para quem: “A esperança da salvação é aceita sem uma mudança radical de coração ou reforma da vida. Assim, conversões superficiais abundam, e multidões são unidas à igreja que nunca foram unidas a Cristo.” (GC 468).

Você tem um relacionamento superficial com Cristo ou uma fé real? Jesus disse: “Porque nada há encoberto que não haja de ser manifesto; e nada se faz para ficar oculto, mas para ser descoberto.” Marcos 4:17.

Karen Lifshay
Corista da Igreja ASD de Hermiston, Oregon, EUA.

Leitura correspondente no livro GC:
http://ellenwhite.cpb.com.br/livro/index/1/461/478/a-vida-que-satisfaz—como-alcancar-paz-de-alma

COMENTÁRIO sobre O Grande Conflito, cap. 26 – Restauração da Verdade

Texto original:
https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/sop/gc/26

Escolha o seu estandarte! Isso costumava significar colocar-se alinhado para a batalha sob a bandeira que representava o lado que você apoiava na guerra. Se você tinha um padrão, significava que havia tomado partido, feito suas decisões, rompido com outras alianças e estava totalmente comprometido com a causa. Noutro sentido da palavra, um padrão é algo estabelecido por uma autoridade como regra para medir um peso, uma quantidade ou um valor de algum tipo. Ambos os usos da palavra incluem a ideia de concordar com uma autoridade superior a você. Na batalha, um padrão representa um teste de lealdade ou aliança. Nos negócios, representa um teste de precisão, integridade e veracidade entre as partes envolvidas.

Assim, é no campo das coisas espirituais: “Embora doutrinas e teorias conflitantes existam em abundância, a lei de Deus é a regra infalível pela qual todas as opiniões, doutrinas e teorias devem ser testadas” (GC 452). Alguns escolheram a ciência como padrão, alguns escolheram a tradição e outros escolheram a si próprios. Você está alinhado com a lei de Deus pela fé em Jesus ou está marchando sob um padrão diferente?

Karen Lifshay
Corista da Igreja ASD de Hermiston, Oregon, EUA.

Leitura correspondente no livro GC:
http://ellenwhite.cpb.com.br/livro/index/1/451/460/restauracao-da-verdade

COMENTÁRIO sobre O Grande Conflito, cap. 25 – A Imutável Lei de Deus

Texto original:
https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/sop/gc/25

Deus nos criou e nos deu o Dia do Sábado como um memorial de Sua criação, um dia designado para adorarmos e renovarmos nosso relacionamento com Ele. Aninhado no meio dos mandamentos, o mandamento do sábado aponta para Deus como nosso Criador e nosso exemplo. Isso não apenas nos diz para deixar de lado nosso trabalho, mas estende essa bênção a todos os que nos rodeiam, incluindo servos, estrangeiros e animais. Deus abençoou o Sábado como um dia para passarmos com Ele todas as semanas de nossas vidas. Naturalmente, Satanás quer nos impedir de desfrutarmos dessa bênção, portanto ele faz tudo o que pode para nos distrair do real propósito desse dia. Ele convence alguns que o dia é para gratificação pessoal à parte de Deus, sobrecarrega outros com regras e requisitos árduos, e convence ainda outros que a lei de Deus não se aplica mais a nós hoje. Por causa disso, muitos são roubados da restauração que vem como resultado desse tempo com Deus a cada semana.

O sábado é um sinal de lealdade a Deus. À medida que o tempo do fim se aproxima, Satanás fará com que leis sejam feitas para impedir que as pessoas adorem no sábado. Isso já está acontecendo em alguns países. Valorizemos esses dias, em que ainda temos a liberdade para adorar, e façamos de cada sábado um dia prazeroso com Deus.

Lisa Ward
Tesoureira da igreja ASD Vida no Campo (Country Life)
Cleburne, Texas EUA

Leitura correspondente no livro GC:
http://ellenwhite.cpb.com.br/livro/index/1/433/450/a-imutavel-lei-de-deus

COMENTÁRIO sobre O Grande Conflito, cap. 24 – Quando Começa o Julgamento Divino

Texto original:
https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/sop/gc/24

Desapontamento esmagador! Dor devastadora! Questionamentos agonizantes! O que fizemos de errado?

Eles oraram, jejuaram, dedicaram tempo, dinheiro, energia e reputação, porque acreditavam tão fortemente que teriam dado a própria vida de bom grado. E agora os sonhos se desfizeram. Viraram fumaça. A esperança estava morta. O que o futuro poderia reservar depois de algo tão doloroso?

Isso aconteceu quando Jesus morreu. Aconteceu novamente quando Jesus não veio em 1844. Aqueles tempos foram seguidos por um período de grandes provações e muitos renunciaram à fé e se afastaram da oração e do estudo da Bíblia.

Aquela não foi uma decisão pequena! Eles entenderam mal o que havia acontecido, mas Deus não tinha abandonado o Seu povo. Ele nunca o faz. Para aqueles que permaneceram fiéis, vigiando e orando a fim de conhecerem a vontade de Deus, Ele revelou a grande verdade do santuário e a realidade do que havia acontecido naquela data profética em 1844. A incrível intercessão que Cristo está fazendo por nós AGORA! A gloriosa esperança para o futuro!

O que aconteceu no passado é um exemplo para nós hoje. Cristo ainda intercede em nosso favor e ainda ilumina aqueles que procuram por luz. Se escolhermos ser descuidados e ignorarmos a luz que Ele nos deu, se não aceitarmos as roupas de casamento transformadoras do caráter de Cristo, enfrentaremos as palavras mais tristes que poderemos ouvir de Jesus: “Eu nunca lhe conheci!” (Mateus 7:23).

Decidamos hoje sermos fiéis, não importa o custo.

Lisa Ward
Tesoureira da igreja ASD Vida no Campo (Country Life)
Cleburne, Texas EUA

Leitura correspondente no livro GC:
http://ellenwhite.cpb.com.br/livro/index/1/423/432/quando-comeca-o-julgamento-divino

COMENTÁRIO sobre O Grande Conflito, cap. 23 – O Santuário Celestial

Texto original:
https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/sop/gc/23

Anos atrás, um ex-pastor me disse: “O santuário no céu não pode ser real. Não há sangue no céu.” Ele rejeitou todo o conceito.

De alguma forma, ele nunca entendeu bem a natureza simbólica do santuário e quão perfeitamente o santuário terrestre representa as realidades celestiais finais. O requintado simbolismo é de tirar o fôlego. Por exemplo, os querubins que olham por cima do propiciatório representam os anjos celestiais enquanto se maravilham e refletem sobre como Deus combinou perfeitamente a justiça e a misericórdia no plano da salvação. Em cada detalhe do santuário, Deus combinava um processo celestial com uma realidade terrena. Isso nos ajuda a entender melhor o processo salvífico de restauração levado à efeito por Deus.

Durante dezoito séculos no santuário celestial, Cristo intercedeu em favor de Seus amados filhos perdidos mediante os méritos do Seu sangue, apresentando Suas mãos, pés e lados feridos como evidência de que ele pode fornecer justificação para a salvação. O seu sangue efetuou a purificação.

De alguma forma, meu amigo perdeu o belo simbolismo do santuário. Ele nunca entendeu o belo mistério do mediador ferido, que pagou o preço final para redimir a Seus filhos. Com a intenção de racionalizar tudo a partir de uma perspectiva humana, ele perdeu a mensagem do santuário. Por fim, o sistema do santuário revela o coração de Deus, que formou um plano atordoante e arriscado para restaurar-nos a santa intimidade com Ele pela eternidade.

A mensagem do santuário é um belo vislumbre das intenções amorosas de Deus para o nosso futuro. Seria sensato ponderar o mistério pelo qual os anjos se maravilham. Como Einstein disse uma vez: “Quero conhecer os pensamentos de Deus – o resto são meros detalhes”.

Lori Engel
Capelã (atualmente com deficiência)
Eugene, Oregon, EUA

Leitura correspondente no livro GC:
http://ellenwhite.cpb.com.br/livro/index/1/409/422/o-santuario-celestial,-centro-de-nossa-esperanca

COMENTÁRIO sobre O Grande Conflito, cap. 22 – Profecias Alentadoras

Texto original:
https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/sop/gc/22

Mantenha-se firme! Estamos caminhando para novos horizontes.

Desapontamento, confusão e dúvida estão em contraposição à espera e à esperança pelo cumprimento das profecias. Esse foi o caso em 1844. Acontece o mesmo, hoje, enquanto aguardamos a vinda de Cristo.

Quanto mais os Mileritas se aproximavam de 22 de outubro de 1844, mais o fogo da paixão os dominava. Infelizmente, o fanatismo também floresceu. E quanto a nós? Em 21 de maio de 2011, um adventista ativou o alarme de incêndio no centro de convenções de Saalfelden, na Áustria, a fim de alertar várias centenas de irmãos fiéis acerca de um desastre iminente que deveria marcar o início das últimas semanas deste planeta. Nada aconteceu. Ainda existem várias pessoas super zelosas que amam o que é novo e sensacional e superestimam sua própria importância. Outros são guiados apenas por seus sentimentos, impulsos e impressões. Na minha opinião, o fanatismo mais prejudicial é enfatizar uma verdade enquanto outras são negligenciadas. De muitas maneiras diferentes, os fanáticos causam danos à fé adventista.

Em contrapartida, o equilíbrio faz parte do nosso espírito de otimismo enquanto aguardamos o retorno de Jesus. O equilíbrio é baseado em afirmações bíblicas, não em presunções. Mantém os pés no chão da verdade. A volta de Cristo tem documentação bíblica suficiente (profecias). É por isso que é uma parte central de uma fé equilibrada.
Enquanto estivermos entre o aqui e a eternidade, corremos o risco de cair no entusiasmo ou no fanatismo. Manter o equilíbrio na fé é de suma importância. Este é um momento de ser sóbrio e racional, como era antes e depois de 22 de outubro de 1844.

Martin Pröbstle
Professor, Seminário Teológico de Bogenhofen, Áustria

Leitura correspondente no livro GC:
http://ellenwhite.cpb.com.br/livro/index/1/391/408/profecias-alentadoras