PROFETAS E REIS, cap. 60

Capítulo 60 — Visões da glória futura

Nos dias mais negros de seu longo conflito com o mal, à igreja de Deus têm sido dadas revelações do eterno propósito de Jeová. A Seu povo tem sido permitido olhar para além das provas do presente aos triunfos do futuro quando, findo o conflito, os redimidos entrarão na posse da Terra Prometida. Essas visões de glória futura, cenas pintadas pela mão de Deus, deviam ser estimadas por Sua igreja hoje, quando a controvérsia dos séculos está chegando rapidamente ao fim, e as bênçãos prometidas devem ser logo experimentadas em toda a sua plenitude.

Muitas foram as mensagens de conforto dadas à igreja pelos profetas do passado. “Consolai, consolai o Meu povo” (Isaías 40:1), foi a comissão dada por Deus a Isaías; e com a comissão foram dadas maravilhosas visões que têm sido a esperança e gozo dos crentes através dos séculos que se têm seguido. Desprezados dos homens, perseguidos, abandonados, os filhos de Deus em todos os séculos têm sido não obstante sustentados por Suas fiéis promessas. Pela fé têm olhado para o tempo em que Ele cumprirá para com Sua igreja a promessa: Eu “te porei uma excelência perpétua, um gozo de geração em geração”. Isaías 60:15.

Não raro é a igreja militante chamada a sofrer prova e aflição; pois não é sem severo conflito que a igreja deverá triunfar. “Pão de angústia e água de aperto” (Isaías 30:20), pertencem à sorte de todos; mas ninguém que ponha a sua confiança nAquele que é poderoso para livrar será inteiramente subjugado. “Assim diz o Senhor que te criou, ó Jacó, e que te formou, ó Israel: Não temas, porque Eu te remi; chamei-te pelo teu nome, tu és Meu. Quando passares pelas águas estarei contigo, e quando pelos rios, eles não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti. Porque Eu sou o Senhor teu Deus, o Santo de Israel, o teu Salvador; dei o Egito por teu resgate, e Etiópia e Seba por ti. Enquanto foste precioso aos Meus olhos, também foste glorificado, e Eu te amei, pelo que dei os homens por ti, e os povos por tua alma”. Isaías 43:1-4.

Há perdão com Deus; há aceitação plena e livre pelos méritos de Jesus, nosso Senhor crucificado e ressurreto. Isaías ouviu o Senhor declarar a Seus escolhidos: “Eu, Eu mesmo, sou o que apago as tuas transgressões por amor de Mim, e dos teus pecados Me não lembro. Procura lembrar-Me; entremos em juízo juntamente; apresenta as tuas razões, para que te possa justificar”. Isaías 43:25, 26. “E saberás que Eu sou o Senhor, o teu Salvador, e o teu Redentor, o Possante de Jacó”. Isaías 60:16.

“Tirará o opróbrio do Seu povo” (Isaías 25:8), o profeta declarou. “E chamar-te-ão: Povo santo, remidos do Senhor”. Isaías 62:12. Ele determinou “que se lhes dê ornamento por cinza, óleo de gozo por tristeza, vestido de louvor por espírito angustiado; a fim de que se chamem árvores de justiça, plantação do Senhor, para que Ele seja glorificado”. Isaías 61:3.

“Desperta, desperta, veste-te da tua fortaleza, ó Sião;
veste-te dos teus vestidos formosos,
ó Jerusalém, cidade santa;
porque nunca mais entrará em ti nem incircunciso e nem imundo.
Sacode o pó, levanta-te, e assenta-te, ó Jerusalém;
solta-te das ataduras de teu pescoço,
ó cativa filha de Sião”.

Isaías 52:1, 2.

“Ó oprimida, arrojada com a tormenta e desconsolada eis
que Eu porei as tuas pedras com todo o ornamento,
e te fundarei sobre safiras.
E as tuas janelas farei cristalinas,
e as tuas portas de rubis,
e todos os teus termos de pedras aprazíveis.
E todos os teus filhos serão discípulos do Senhor;
e a paz dos teus filhos será abundante.
Com justiça serás confirmada;
estarás longe da opressão, porque já não temerás;
e também do espanto, porque não chegarão a ti.
Eis que poderão vir a juntar-se,
mas não será por Mim;
quem se ajuntar contra ti,
cairá por amor de ti […]
Toda a ferramenta preparada contra ti,
não prosperará;
e toda a língua que se levantar contra ti em juízo,
tu a condenarás;
esta é a herança dos servos do Senhor,
e a justiça que vem de Mim, diz o Senhor”.

Isaías 54:11-17.

Revestida da armadura da justiça de Cristo, a igreja deve entrar em seu conflito final. “Formosa como a Lua, brilhante como o Sol, formidável como um exército com bandeiras” (Cânticos 6:10), deve ela ir a todo o mundo, vencendo e para vencer.

A hora mais difícil da luta da igreja com os poderes do mal, é a que imediatamente precede o dia do seu livramento final. Mas ninguém que confie em Deus precisa temer; pois quando “o sopro dos opressores é como a tempestade contra o muro” Deus será para a Sua igreja como “um refúgio contra a tempestade”. Isaías 25:4.

Naquele dia, unicamente aos justos é prometido livramento. “Os pecadores de Sião se assombraram, o tremor surpreendeu os hipócritas. Quem dentre nós habitará com o fogo consumidor? quem dentre nós habitará com as labaredas eternas? O que anda em justiça, e o que fala com retidão; o que arremessa para longe de si o ganho de opressões; o que sacode das suas mãos todo o presente; o que tapa os seus ouvidos para não ouvir falar de sangue, e fecha os seus olhos para não ver o mal. Este habitará nas alturas; as fortalezas das rochas serão o seu alto refúgio, o seu pão lhe será dado, as suas águas serão certas”. Isaías 33:14-16.

A palavra do Senhor aos Seus fiéis é: “Vai pois, povo Meu, entra nos teus quartos, e fecha as tuas portas sobre ti; esconde-te, só por um momento, até que passe a ira. Porque eis que o Senhor sairá do Seu lugar, para castigar os moradores da Terra, por causa da sua iniqüidade”. Isaías 26:20, 21.

Em visões do grande dia do juízo, aos inspirados mensageiros de Jeová foi dado ver ligeiramente a consternação dos que não estavam preparados para se encontrarem com o seu Senhor em paz.

“Eis que o Senhor esvazia a Terra, e a desola, e transtorna a sua superfície, e dispersa os seus moradores. […] Porquanto transgridem as leis, mudam os estatutos, e quebram a aliança eterna. Por isso a maldição consome a Terra, e os que habitam nela serão desolados. […] Cessou o folguedo dos tamboris, acabou o ruído dos que pulam de prazer, e descansou a alegria da harpa”. Isaías 24:1-8.

“Ah aquele dia porque o dia do Senhor está perto, e virá como uma assolação do Todo-poderoso. […] A semente apodreceu debaixo dos seus torrões, os celeiros foram assolados, os armazéns derribados, porque se secou o trigo. Como geme o gado as manadas de vacas estão confusas, porque não têm pasto; também os rebanhos de ovelhas são destruídos.” “A vide se secou, a figueira se murchou; a romeira também, e a palmeira e a macieira; todas as árvores do campo se secaram, e a alegria se secou entre os filhos dos homens”. Joel 1:15-18, 12.

“Estou ferido no meu coração” Jeremias exclamou ao contemplar as desolações produzidas durante as cenas finais da história da Terra. “Não me posso calar, porque tu, ó minha alma, ouviste o som da trombeta e o alarido da guerra. Quebranto sobre quebranto se apregoa; porque já toda a Terra está destruída”. Jeremias 4:19, 20.

“A altivez do homem será humilhada”, declara Isaías com respeito ao dia da vingança de Deus, “e a altivez dos varões se abaterá, e só o Senhor será exaltado naquele dia. E todos os ídolos totalmente desaparecerão. […] Naquele dia o homem lançará às toupeiras e aos morcegos os seus ídolos de prata, e os seus ídolos de ouro, que fizeram para ante eles se prostrarem, e meter-se-á pelas fendas das rochas, e pelas cavernas das penhas, por causa da presença espantosa do Senhor, e por causa da glória da Sua majestade, quando Ele Se levantar para assombrar a Terra”. Isaías 2:17-21.

Desses tempos de transição, quando o orgulho do homem há de ser abatido, Jeremias, testifica: “Observei a Terra, e eis que estava assolada e vazia; e os céus, e não tinham a sua luz. Observei os montes, e eis que estavam tremendo; e todos os outeiros estremeciam. Observei e vi que homem nenhum havia, e que todas as aves do céu tinham fugido. Vi também que a terra fértil era um deserto, e que todas as suas cidades estavam derribadas diante do Senhor, diante do furor da Sua ira”. Jeremias 4:23-26. “Ah porque aquele dia é tão grande, que não houve outro semelhante e é tempo de angústia para Jacó; ele porém será livrado dela”. Jeremias 30:7.

O dia da ira para os inimigos de Deus é o dia de final livramento para a Sua igreja. O profeta declara:

“Confortai as mãos fracas,
e fortalecei os joelhos trementes.
Dizei aos turbados de coração:
Esforçai-vos, não temais;
eis que o vosso Deus virá com vingança,
com recompensa de Deus;
Ele virá, e vos salvará”.

Isaías 35:3, 4.

“Aniquilará a morte para sempre, e assim enxugará o Senhor Jeová as lágrimas de todos os rostos, e tirará o opróbrio do Seu povo de toda a Terra; porque o Senhor o disse”. Isaías 25:8. E ao contemplar o profeta o Senhor da glória descendo do Céu, com todos os santos anjos, para congregar a igreja remanescente dentre todas as nações da Terra, ele ouve o povo expectante unir-se no exultante clamor:

“Eis que este é o nosso Deus,
a quem aguardávamos, e Ele nos salvará;
este é o Senhor, a quem aguardávamos;
na Sua salvação gozaremos,
e nos alegraremos”.

Isaías 25:9.

A voz do Filho de Deus é ouvida chamando os santos que dormem, e ao contemplar o profeta a sua saída das prisões da morte, exclama: “Os teus mortos viverão, os teus mortos ressuscitarão; despertai e exultai, os que habitais no pó, porque o teu orvalho será como o orvalho das ervas, e a terra lançará de si os mortos”. Isaías 26:19.

“Então os olhos dos cegos serão abertos,
e os ouvidos dos surdos se abrirão.
Então os coxos saltarão como cervos,
e a língua dos mudos cantará”.

Isaías 35:5, 6.

Nas visões do profeta, os que triunfaram sobre o pecado e a sepultura são agora vistos felizes na presença do seu Criador, com Ele falando livremente, assim como o homem falava com Deus no início. “Mas vós folgareis”, o Senhor lhes declarou, “e exultareis perpetuamente no que Eu crio; porque eis que crio para Jerusalém alegria e para o seu povo gozo. E folgarei em Jerusalém, e exultarei no Meu povo; e nunca mais se ouvirá nela voz de choro nem voz de clamor”. Isaías 65:18, 19. “E morador nenhum dirá: Enfermo estou; porque o povo que habitar nela será absolvido de sua iniqüidade”. Isaías 33:24.

“Águas arrebentarão no deserto
E ribeiros no ermo.
E a terra seca se transformará em tanques,
e a terra sedenta em mananciais de águas”.

Isaías 35:6, 7.

“Em lugar do espinheiro crescerá a faia,
e em lugar da sarça crescerá a murta”.

Isaías 55:13.

“E ali haverá um alto caminho,
um caminho que se chamará o caminho santo;
o imundo não passará por ele,
mas será para aqueles:
Os caminhantes, até os loucos,
não errarão”.

Isaías 35:8.

“Falai benignamente a Jerusalém, e bradai-lhe que já a sua malícia é acabada, que a sua iniqüidade está expiada e que já recebeu em dobro da mão do Senhor, por todos os seus pecados”. Isaías 40:2.

Contemplando o profeta os redimidos como moradores da cidade de Deus, livres do pecado e de todos os sinais da maldição, exclama em exaltação: “Regozijai-vos com Jerusalém, e alegrai-vos por ela, vós todos os que a amais; enchei-vos por ela de alegria”. Isaías 66:10.

“Nunca mais se ouvirá de violência na tua terra,
de desolação ou destruição nos teus termos;
mas aos teus muros chamarás salvação,
e às tuas portas louvor.
Nunca mais te servirá o Sol para luz do dia,
nem com o seu resplendor a Lua te alumiará;
mas o Senhor será a tua luz perpétua,
e o teu Deus a tua glória.
Nunca mais se porá o teu Sol,
nem a tua Lua minguará;
porque o Senhor será a tua luz perpétua,
e os dias do teu luto findarão.
E todos os do teu povo serão justos,
para sempre herdarão a Terra;
serão renovos por Mim plantados,
obra das Minhas mãos,
para que Eu seja glorificado”.

Isaías 60:18-21.

O profeta ouviu ali o soar de música e cânticos, cânticos e música como, salvo nas visões de Deus, nenhum ouvido mortal ouviu ou a mente concebeu. “E os resgatados do Senhor voltarão, e virão a Sião, com júbilo, e alegria eterna haverá sobre as suas cabeças; gozo e alegria alcançarão, e deles fugirá a tristeza e o gemido”. Isaías 35:10. “Gozo e alegria se achará nela, ação de graças, e voz de melodia”. Isaías 51:3. “E os cantores e tocadores de instrumentos entoarão”. Salmos 87:7. “Estes alçarão a sua voz, e cantarão com alegria; por causa da glória do Senhor”. Isaías 24:14.

Na Terra renovada, os redimidos empenhar-se-ão em ocupações e prazeres que levaram felicidade a Adão e Eva no início. Será vivida a vida edênica, entre o jardim e o campo. “E edificarão casas e nelas habitarão; plantarão vinhas e comerão o seu fruto. Não edificarão para que outros habitem; não plantarão para que outros comam; porque os dias do Meu povo serão como os dias da árvore, e os Meus eleitos gozarão das obras das suas mãos até à velhice”. Isaías 65:21, 22.

Cada faculdade será desenvolvida, toda habilidade aumentada. Os maiores empreendimentos serão levados a êxito, as mais elevadas aspirações alcançadas, realizadas as mais altas ambições. E surgirão ainda novas alturas a serem alcançadas, novas maravilhas para serem admiradas, novas verdades a serem compreendidas, novos objetos de estudo a desafiarem as faculdades do corpo, da mente e do espírito.

Os profetas a quem essas grandes cenas foram reveladas, ansiaram por compreender-lhes o pleno significado. Eles “inquiriram e trataram diligentemente […] indagando que tempo ou que ocasião de tempo o Espírito de Cristo, que estava neles, indicava. […] Aos quais foi revelado que não para si mesmos, mas para nós, eles ministravam estas coisas que agora vos foram anunciadas”. 1 Pedro 1:10-12.

A nós que estamos no próprio limiar do seu cumprimento, que momentosos e de vivo interesse não são esses sinais das coisas por vir — eventos a cujo respeito, desde que nossos primeiros pais se encaminharam para fora do Éden, os filhos de Deus têm orado, e os quais têm ansiosamente aguardado!

Companheiro peregrino, estamos ainda em meio às sombras e tumultos das atividades terrenas; mas logo nosso Salvador deverá aparecer para nos dar livramento e repouso. Olhemos pela fé ao bendito futuro, tal como a mão de Deus o pinta. Aquele que morreu pelos pecados do mundo, está franqueando as portas do Paraíso a todo que nEle crê. Logo a batalha estará terminada e a vitória ganha. Breve veremos Aquele em quem se têm centralizado nossas esperanças de vida eterna. Em Sua presença as provas e sofrimentos desta vida parecerão como se nada fossem. “Não haverá lembrança das coisas passadas, nem mais se recordarão”. Isaías 65:17. “Não rejeiteis pois a vossa confiança, que tem grande e avultado galardão. Porque necessitais de paciência, para que, depois de haverdes feito a vontade de Deus, possais alcançar a promessa. Porque ainda um poucochinho de tempo, e o que há de vir virá, e não tardará”. Hebreus 10:35-37. “Israel é salvo […] com uma eterna salvação; pelo que não sereis envergonhados nem confundidos em todas as eternidades”. Isaías 45:17.

É tempo de olhar para cima, olhar para cima, e permitir que nossa fé cresça continuamente. Permitir que esta fé nos guie pelo caminho estreito que leva através das portas da cidade para o grande além, o vasto e ilimitado futuro de glória que há para os redimidos. “Sede pois, irmãos, pacientes até a vinda do Senhor. Eis que o lavrador espera o precioso fruto da terra, aguardando-o com paciência, até que receba a chuva temporã e a serôdia. Sede vós também pacientes, fortalecei os vossos corações; porque já a vinda do Senhor está próxima.” Tiago 5:7, 8.

As nações dos remidos não conhecerão outra lei senão a lei do Céu. Todos serão uma família unida e feliz, revestida com as vestes de louvor e ações de graças. […] Sobre essa cena, as estrelas da manhã cantarão em uníssono, e os filho de Deus exultarão de alegria, enquanto Deus e Cristo Se unirão proclamando: “Não haverá mais pecado nem morte.” Apocalipse 21:4.

“E será que, desde uma festa da lua nova até à outra e desde um sábado até ao outro, virá toda a carne a adorar perante Mim, diz o Senhor”. Isaías 66:23. “A glória do Senhor se manifestará, e toda a carne juntamente verá”. Isaías 40:5. “O Senhor Jeová fará brotar a justiça e o louvor para todas as nações”. Isaías 61:11. “Naquele dia o Senhor dos Exércitos será por coroa, e por grinalda formosa, para o restante do Seu povo”. Isaías 28:5.

“O Senhor consolará a Sião; consolará a todos os seus lugares assolados, e fará o seu deserto como o Éden, e a sua solidão como o jardim do Senhor”. Isaías 51:3. “A glória do Líbano se lhe deu, a excelência do Carmelo e Sarom”. Isaías 35:2. “Nunca mais te chamarão: Desamparada, nem a tua terra se denominará jamais: Assolada; mas chamar-te-ão: Meu deleite e à tua terra: Beulá […] porque o Senhor Se agradará de ti; e a tua terra se casará”. Isaías 62:4, 5.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s