COMENTÁRIO sobre Atos dos Apóstolos, cap. 15 – Liberto da Prisão

Você considera a “existência” dos anjos uma realidade? No Ocidente, muitas vezes desaprovamos aqueles que relatam experiências sobrenaturais, já que nossa visão de mundo tende a ser racional e naturalista. A história de Pedro sendo libertado por um anjo sempre me pareceu um poderoso testemunho acerca das ações dos anjos. No entanto, é lógico? Pode ser provado? Além disso, parte de mim quer se concentrar em porque Pedro foi liberto e Tiago não. Por que Tiago teve que morrer? Por que os anjos libertam alguns da prisão e não outros?

Meu racionalismo ocidental salta da sepultura em que tento mantê-lo sepultado. Então, vou ao meu diário de oração e leio acerca de situações em que fui liberto sem nenhuma explicação possível, exceto a intervenção dos anjos. Eu até me lembro de vezes em que outros afirmam terem visto anjos ao meu lado ou experiências incríveis que hesito em compartilhar.

Ainda tenho perguntas sobre a teodicéia (justiça de Deus), ainda luto para entender algumas das minhas experiências, mas quando essas perguntas pressionam contra a minha convicção baseada na Palavra de Deus, sinto-me inspirado a aceitar a presença de anjos em minha vida. A revelação das Escrituras e este maravilhoso livro “Atos dos Apóstolos” iluminam as salas escuras da minha mente.

Eu considero a “existência” dos anjos uma realidade porque não tenho opção. Eu já estive perto deles. Eu fui abençoado com o que aprendi acerca deles na revelação de Deus por escrito – a Sua Palavra.

Efraín Velázquez
Presidente
Seminário Teológico Adventista Interamericano

Texto original:
https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/sop/aa/15
Leitura correspondente no livro DTN:
http://ellenwhite.cpb.com.br/livro/index/5/143/154/liberto-da-prisao

 

COMENTÁRIO sobre Atos dos Apóstolos, cap. 13-14 – Dias de Preparo

Quão empolgante é saber que Deus nos escolheu e não anjos para compartilhar as boas novas! Mas como o Céu pode usar esses meios imperfeitos para cumprir a missão de alcançar os perdidos?

Pedro e Paulo destacam-se como os melhores exemplos dos piores instrumentos possíveis para compartilhar o Evangelho. Paulo é descrito como um fanático intolerante que odiava os seguidores de Jesus. Mas então, sua fé mudou com base na evidência esmagadora que ele voltou a enxergar sob a direção do Espírito Santo. Saulo não se converteu de uma religião para outra, mas de um relacionamento para outro. Ele havia dependido de seus méritos a vida toda e agora Paulo foi salvo pela justiça de Jesus. Paulo causou impacto naqueles que o ouviram devido aos seus argumentos das profecias; Seu ministério não tinha como objetivo apenas agradar o consumidor. Ele apelou para os “sábios” e o “tolos” com a loucura do Evangelho.

Pedro era xenofóbico, tinha problemas de controle da raiva e sua língua era mais rápida que seu cérebro. No entanto, sua experiência com Cornélio demonstra como o Espírito Santo pode transformar e capacitar aqueles a quem Ele chama. O preconceito era um obstáculo comum para esses homens de Deus, algo contra o qual lutaram durante anos. Por fim, tanto Pedro como Paulo tornaram-se eficazes em compartilhar o evangelho com os seus dons.

Anseio por uma experiência marcante com Jesus, como Pedro e Saulo tiveram junto ao mar da Galiléia ou no deserto, longe do meu celular, onde eu possa me concentrar na oração e no estudo profundo da Bíblia. Eu clamo a Deus para ser um vaso digno, assim como Pedro e Paulo, transformado pelas mãos do Mestre.

Efrain Valazquez II
Presidente
Seminário Teológico Adventista Interamericano

Texto original:
https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/sop/aa/13-14
Leitura correspondente no livro DTN:
http://ellenwhite.cpb.com.br/livro/index/5/123/130/dias-de-preparo
http://ellenwhite.cpb.com.br/livro/index/5/131/142/um-inquiridor-da-verdade

 

 

COMENTÁRIO sobre Atos dos Apóstolos, cap. 11-12 – O Evangelho em Samaria

Listas de tarefas, compromissos e prazos. Eles nos mantém motivados, produtivos, bem-sucedidos – seja para o trabalho, para a escola, para o ministério ou para qualquer outra coisa considerada digna de investirmos nosso tempo. A ironia é que essas ferramentas que nos mantém focados e concentrados podem ser as mesmas que nos distraem de encontros mais significativos. Em vez de a narrativa de nossas vidas ser uma pilha de listas completadas, Deus deseja interceptar nossos dias programados.

O encontro de Filipe com o Etíope e o encontro de Ananias com Saul, o perseguidor número um dos cristãos, ilustra a poderosa obra transformadora que o Espírito Santo realiza na vida da humanidade. Esses milagres aconteceram no passado, mas Deus quer recriar essa experiência de novo e de novo!

Já que “em todo o mundo, homens e mulheres estão olhando desesperadamente para o céu, … ansiando por luz”, e estão “à beira do reino, apenas esperando para serem reunidos”, você não acha que deveria haver muitos outros encontros divinos surpreendentes mesmo que interrompam nossos dias planejados? Deus está constantemente atraindo corações à Ele e desejando conectar pessoas à Sua igreja. Devemos pedir por momentos especiais em que Deus nos use para guiar alguém até Ele!

Nesta nova semana, ore por um encontro divino. Isso deverá alterar a rotina de sua lista de tarefas.

Pastor Tiffany A. Brown
Diretor do Centro REACH de Evangelismo Urbano
Tacoma Park,  Maryland – EUA

Texto original:
https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/sop/aa/11-12
Leitura correspondente no livro DTN:
http://ellenwhite.cpb.com.br/livro/index/5/103/111/o-evangelho-em-samaria
http://ellenwhite.cpb.com.br/livro/index/5/112/122/de-perseguidor-a-discipulo

 

COMENTÁRIO sobre Atos dos Apóstolos, cap. 7-8 – Advertência contra a hipocrisia

Entretecidos nas histórias da igreja primitiva vemos temas simples e inspiradores que falam ao nosso coração hoje. Por meio do estudo da vida amorosa de sacrifício de Jesus, os novos seguidores aprenderam a ser amorosos, gentis e generosos, compartilhando sua comida, casa e dinheiro com os necessitados. Eles amavam porque Ele os amou primeiro (1 João 4:19).

Quanto mais experimentamos o amor de Deus por nós, mais amamos uns aos outros, percebemos as necessidades ao nosso redor e transmitimos o amor de Deus aos outros através de generosos atos de bondade. Esse amor generoso flui em nossos corações a partir da nossa conexão com Deus. Quanto mais experimentamos o Seu amor, mais podemos confiar nEle, e podemos ser amorosos e generosos com os outros, porque sabemos que Ele também cuida amorosamente das nossas necessidades.

Infelizmente, Ananias e Safira falharam em confiar que Deus proveria generosamente para eles se eles provêssem generosamente para os outros, com consequências trágicas. Em contraste, Pedro e João confiam e obedecem a Deus completamente. Eles gastam seu tempo curando, pregando e espalhando generosamente o amor de Deus, apesar de sérias ameaças e oposição. Mesmo na prisão, eles continuam orando, confiando e louvando ao Senhor. Deus recompensa obediência amorosa e confiante deles e envia um anjo para libertá-los.

A experiência que eles tiveram da proteção amorosa de Deus fortaleceu a confiança deles nEle, e eles retornaram obedientes ao seu ministério, até mesmo mais seguros do Seu amor, e ainda mais capacitados para compartilhá-lo.

Karen Holford
Diretora dos Ministérios da Família
Divisão Transeuropeia

Texto original:
https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/sop/aa/7-8
Leitura correspondente no livro DTN:
http://ellenwhite.cpb.com.br/livro/index/5/70/76/uma-advertencia-contra-a-hipocrisia
http://ellenwhite.cpb.com.br/livro/index/5/77/86/perante-o-sinedrio

 

COMENTÁRIO sobre Atos dos Apóstolos, cap. 6 – À Porta do Templo

Após o derramamento do Espírito Santo, os discípulos reconheceram que em si mesmos eram fracos e indignos de continuar a grande obra que Jesus lhes havia chamado para fazer. Eles sabiam que somente através da oração sincera eles poderiam se conectar com a fonte do poder. E então eles oraram fervorosamente.

Sinto a mesma necessidade de oração sincera? Reconheço que sem Deus e Seu poder diário sou um discípulo ineficaz? Quantas manhãs eu faço rapidamente a minha devoção com apenas uma pequena oração simbólica quando Deus realmente quer derramar o seu Espírito com o mesmo poder que Ele derramou sobre os discípulos que curaram os enfermos em nome de Jesus, falaram com poder, e convidaram pessoas ao arrependimento? Nós temos um inimigo que conhece o poder da oração e Ele fará tudo o que puder para nos impedir disso. Nunca antes na história houve tantas coisas para nos distrair da oração.

Senhor, por favor, perdoe a minha falta de perseverança na oração. Que nada me impeça de me conectar com o Senhor dia a dia, hora a hora, momento a momento. Em tudo que faço e digo, que eu faça para agradar a Jesus.

Annemarie Freeman
Coordenadora de oração
Igreja do internato Georgia-Cumberland
EUA

Texto original:
https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/sop/aa/6
Leitura correspondente no livro DTN:
http://ellenwhite.cpb.com.br/livro/index/5/57/69/a-porta-do-templo

 

 

COMENTÁRIO sobre Atos dos Apóstolos, cap. 5

Anseio por uma paz que não é deste mundo. Por todo lado há conflitos e descontentamento. As pessoas estão lutando por poder, prestígio e dinheiro. Há conflitos e desentendimentos em casa, no local de trabalho, no palco nacional, no cenário mundial, e até mesmo em nossas igrejas locais e sedes administrativas.

O mundo nunca conhecerá a paz. O Espírito Santo é o único que pode nos encher com a paz que ansiamos, entretanto muitos o afastam para bem longe o máximo que podem.

Mas Jesus nos prometeu essa paz. O seu desejo é nos presentear exatamente com o que pode nos ajudar nos dias difíceis e sombrios. Ao enfrentar a maior provação de sua vida, ele pensou em Seus discípulos, pensou em você e em mim e nos prometeu o Consolador.

Temos todo o poder do Céu à nossa disposição se temos a fé que Ele planta em nós para ser usada para Seu poder e glória. Quando enfrentamos nossas maiores provações e desapontamentos, quando os outros nos ferem, quando cometemos erros, quando passamos pelas maiores tristezas e não sabemos o que o futuro nos reserva, então o Espírito Santo está lá para trazer paz e consolo aos nossos corações. O Espírito Santo está lá para nos lembrar que Deus não se esqueceu de nós. Quando diariamente abrimos mão de querer controlar a nossa vida, Deus nos guiará e conduzirá até a vitória final.

Jennifer Howland
Igreja Adventista do Sétimo Dia de N Anderson
Anderson, Carolina do Sul, EUA

Texto original:

https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/sop/aa/5  
Leitura correspondente no livro DTN:

http://ellenwhite.cpb.com.br/livro/index/5/47/56/o-dom-do-espirito

 

COMENTÁRIO sobre Atos dos Apóstolos, cap. 3

Algumas percepções só podem ser obtidas após termos passado por dificuldades. Às vezes, a compreensão segue a experiência.

Tentando proteger o coração de Seus discípulos de uma dor inesperada, Cristo alertou-os acerca dos eventos que apontavam para a sua morte iminente. Mas eles não queriam pensar em Suas palavras. Talvez tenham sido ensurdecidos por suas próprias expectativas e ambições. Talvez o entendimento deles estivesse obscurecido pela negação, uma recusa em aceitar as palavras assustadoras de Cristo. Qualquer que seja a razão, sua relutância em contemplar e compreender Seus avisos amorosos resultou em maior tristeza, medo e desapontamento após a morte de Cristo.

Misericordiosamente, depois da Sua ressurreição, Cristo decidiu passar 40 dias com os discípulos, explicando-lhes o que não tinham conseguido entender até então e assegurando-lhes de que haveria de guiá-los e confortá-los no futuro. Somente depois dessa experiência de sofrimento é que os discípulos conseguiram assimilar a verdade em seus corações, mudando-os para sempre no caráter.

O Salvador hoje ainda tenta ensinar verdades que nos protegerão e fortalecerão. Estejamos dispostos a aceitar novas verdades e a mudar velhos paradigmas. Quando recusamos atender as gentis advertências do Senhor,  ficamos mais expostos ao desapontamento, à desesperança e à tristeza.

Apesar do Senhor nos guiar, a vida nos surpreende com muitos eventos e relacionamentos difíceis, com coisas dolorosas que só entenderemos mais tarde, talvez somente no céu. Mesmo sem saber explicar o porquê de algumas dificuldades, podemos descansar na certeza de que temos um Salvador que nunca nos abandonará.

Quando a incerteza obscurecer a vida, mantenha seu coração aberto à voz mansa e suave de Deus.

Lori Engel
Capelã (atualmente com necessidades especiais)
Eugene, Oregon, EUA

Texto original:

https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/sop/aa/3

 

Leitura correspondente no livro AA:

http://ellenwhite.cpb.com.br/livro/index/5/25/34/a-grande-comissao