COMENTÁRIO sobre O Grande Conflito, cap. 23 – O Santuário Celestial

Texto original:
https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/sop/gc/23

Anos atrás, um ex-pastor me disse: “O santuário no céu não pode ser real. Não há sangue no céu.” Ele rejeitou todo o conceito.

De alguma forma, ele nunca entendeu bem a natureza simbólica do santuário e quão perfeitamente o santuário terrestre representa as realidades celestiais finais. O requintado simbolismo é de tirar o fôlego. Por exemplo, os querubins que olham por cima do propiciatório representam os anjos celestiais enquanto se maravilham e refletem sobre como Deus combinou perfeitamente a justiça e a misericórdia no plano da salvação. Em cada detalhe do santuário, Deus combinava um processo celestial com uma realidade terrena. Isso nos ajuda a entender melhor o processo salvífico de restauração levado à efeito por Deus.

Durante dezoito séculos no santuário celestial, Cristo intercedeu em favor de Seus amados filhos perdidos mediante os méritos do Seu sangue, apresentando Suas mãos, pés e lados feridos como evidência de que ele pode fornecer justificação para a salvação. O seu sangue efetuou a purificação.

De alguma forma, meu amigo perdeu o belo simbolismo do santuário. Ele nunca entendeu o belo mistério do mediador ferido, que pagou o preço final para redimir a Seus filhos. Com a intenção de racionalizar tudo a partir de uma perspectiva humana, ele perdeu a mensagem do santuário. Por fim, o sistema do santuário revela o coração de Deus, que formou um plano atordoante e arriscado para restaurar-nos a santa intimidade com Ele pela eternidade.

A mensagem do santuário é um belo vislumbre das intenções amorosas de Deus para o nosso futuro. Seria sensato ponderar o mistério pelo qual os anjos se maravilham. Como Einstein disse uma vez: “Quero conhecer os pensamentos de Deus – o resto são meros detalhes”.

Lori Engel
Capelã (atualmente com deficiência)
Eugene, Oregon, EUA

Leitura correspondente no livro GC:
http://ellenwhite.cpb.com.br/livro/index/1/409/422/o-santuario-celestial,-centro-de-nossa-esperanca

COMENTÁRIO sobre O Grande Conflito, cap. 22 – Profecias Alentadoras

Texto original:
https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/sop/gc/22

Mantenha-se firme! Estamos caminhando para novos horizontes.

Desapontamento, confusão e dúvida estão em contraposição à espera e à esperança pelo cumprimento das profecias. Esse foi o caso em 1844. Acontece o mesmo, hoje, enquanto aguardamos a vinda de Cristo.

Quanto mais os Mileritas se aproximavam de 22 de outubro de 1844, mais o fogo da paixão os dominava. Infelizmente, o fanatismo também floresceu. E quanto a nós? Em 21 de maio de 2011, um adventista ativou o alarme de incêndio no centro de convenções de Saalfelden, na Áustria, a fim de alertar várias centenas de irmãos fiéis acerca de um desastre iminente que deveria marcar o início das últimas semanas deste planeta. Nada aconteceu. Ainda existem várias pessoas super zelosas que amam o que é novo e sensacional e superestimam sua própria importância. Outros são guiados apenas por seus sentimentos, impulsos e impressões. Na minha opinião, o fanatismo mais prejudicial é enfatizar uma verdade enquanto outras são negligenciadas. De muitas maneiras diferentes, os fanáticos causam danos à fé adventista.

Em contrapartida, o equilíbrio faz parte do nosso espírito de otimismo enquanto aguardamos o retorno de Jesus. O equilíbrio é baseado em afirmações bíblicas, não em presunções. Mantém os pés no chão da verdade. A volta de Cristo tem documentação bíblica suficiente (profecias). É por isso que é uma parte central de uma fé equilibrada.
Enquanto estivermos entre o aqui e a eternidade, corremos o risco de cair no entusiasmo ou no fanatismo. Manter o equilíbrio na fé é de suma importância. Este é um momento de ser sóbrio e racional, como era antes e depois de 22 de outubro de 1844.

Martin Pröbstle
Professor, Seminário Teológico de Bogenhofen, Áustria

Leitura correspondente no livro GC:
http://ellenwhite.cpb.com.br/livro/index/1/391/408/profecias-alentadoras

COMENTÁRIO sobre O Grande Conflito, cap. 21 – A causa da degradação atual

Texto original:
https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/sop/gc/21

Em 2018, Greta Thunberg, então com 15 anos, tentou despertar o mundo de sua apatia com um aviso urgente, enquanto falava com as maiores cúpulas políticas e econômicas do mundo. Seja em Davos na cúpula econômica mundial ou nas Nações Unidas, ela quis chocar as pessoas mais poderosas e tentar mudar sua busca desenfreada pelo poder e pela prosperidade econômica.

Ela não mediu nenhuma palavra quando disse: “Quero que entrem em pânico. Quero que sintam o medo que sinto todos os dias. E então quero que vocês ajam. Quero que ajam como fariam em uma crise. Quero que vocês ajam como se nossa casa estivesse pegando fogo. Porque está.”

Através de Guilherme Miller, Deus deu um aviso mais poderoso do que o aviso que Greta deu a respeito de nossa destruição ambiental. As igrejas cristãs deveriam ser abaladas para dar o último aviso de Deus à Babilônia! Mas como as igrejas poderiam dar o último aviso a um mundo ao qual haviam se adaptado? Felizmente, assim como no tempo de Elias, Deus ainda tinha fiéis seguidores Seus nas igrejas que estavam insatisfeitos com o status quo e ansiavam por mais luz.

A mensagem de advertência da parte de Deus alcançará seu objetivo. Seremos parte daqueles que darão a advertência ou estaremos muito adaptados ao mundo para nos importarmos a ponto de fazermos alguma coisa?

Boyan Godina
Professor, Seminário Teológico de Bogenhofen, Áustria

Leitura correspondente no livro GC:
http://ellenwhite.cpb.com.br/livro/index/1/375/390/a-causa-da-degradacao-atual

COMENTÁRIO sobre O Grande Conflito, cap. 20 – Um Grande Movimento Mundial

Texto original:
https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/sop/gc/20

Às vezes imaginamos que o grande despertar espiritual nos anos anteriores a 1844 foi uma mera experiência americana, baseada no trabalho incansável de Guilherme Miller e seus companheiros. É importante, no entanto, lembrar que Deus não estava guiando apenas os habitantes do “novo mundo”, mas também os do antigo e de outras partes da terra.

Indivíduos diligentes em busca da verdade bíblica, especialmente a “verdade presente”, que agora podia ser entendida pelo estudo das profecias de Daniel e Apocalipse, foram tornados sábios pela iluminação do Espírito Santo. Esses estudantes da Bíblia recusaram-se a curvar-se sob as restrições teológicas das igrejas influentes e teólogos renomados de seu tempo. Até crianças começaram a proclamar a mensagem da breve Vinda de Cristo. Através das diferentes igrejas européias, mesmo dentro da ordem dos jesuítas, Deus foi capaz de despertar Seus mensageiros para preparar Seu povo para a volta de Cristo. A resistência foi grande ao longo dos anos da Reforma. No entanto, a mensagem foi bem-sucedida e levou massas de crentes a rever as Escrituras e aceitar os primeiros vislumbres da nova luz do “fim dos tempos”.

Essas experiências nos ensinam a nunca aceitar a condição conveniente de pretender possuir “toda a verdade”. Sempre há algo mais a ser descoberto na Bíblia. Os livros proféticos em particular têm reservado para o nosso tempo a sua luz mais intensa, trazendo as verdades mais poderosas e relevantes. Uma nova reforma e outro grande despertar devem ser esperados com base em um estudo aprofundado de Daniel e Apocalipse.

René Gehring
Professor, Seminário Teológico de Bogenhofen, Áustria

Leitura correspondente no livro GC:
http://ellenwhite.cpb.com.br/livro/index/1/355/374/um-grande-movimento-mundial

COMENTÁRIO sobre O Grande Conflito, cap. 19 – Luz Para os Nossos Dias

Texto original:
https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/sop/gc/19

A fé em um Deus transcendente deveria ser mais fácil hoje do que na época dos discípulos de Jesus. A tecnologia nos permite acessar o conhecimento do cosmo que antes era desconhecido. A crença de que um poder orientador organiza e sustenta nosso vasto universo é mais plausível hoje do que nunca. Até a crença em Jesus como o Filho de Deus é mais fácil hoje, a uma distância de 2000 anos, do que para os discípulos que poderiam realmente ir ao encontro da Sua humanidade através do toque e da experiência pessoal. Nosso teste de fé é: como esse Deus transcendente, que segura tudo em suas mãos, nos conhece pessoalmente neste ponto de poeira no universo (Salmo 139)? Deus está realmente preocupado comigo? Haverá uma segunda vinda literal de Jesus em um dia literal do nosso calendário?

Quem pode entender isso? Como o homem pode passar da compreensão de um Deus transcendente à expectativa iminente do reino de Deus?

Humanamente falando, esse tipo de crença é impossível. A pessoa que acredita na literal e breve vinda de Jesus recebe essa crença como um presente de Deus e deve agradecer. O que é impossível para a humanidade é totalmente possível para Deus!

Heinz Schaidinger
Professor, Seminário Teológico de Bogenhofen, Áustria

Leitura correspondente no livro GC:
http://ellenwhite.cpb.com.br/livro/index/1/343/354/luz-para-os-nossos-dias

COMENTÁRIO sobre O Grande Conflito, cap. 18 – Uma Profecia Muito Significativa

Texto original:
https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/sop/gc/18

Para mim, Guilherme Miller é um herói. Talvez não no sentido tradicional da palavra, mas porque ele lutou contra suas fraquezas e as superou com grande coragem. Aqui está o meu raciocínio:

1. Ele estava disposto a mudar de opinião:
Em sua juventude, ele era um deísta e acreditava apenas em um Deus distante. A sociedade que ele frequentava apenas fortaleceu essa mentalidade. Apesar disso, ele finalmente decidiu confessar publicamente sua fé recém-encontrada. Eu considero isso heróico.

2. Ele se tornou um pregador:
No começo, ele preferiu manter suas descobertas acerca dos livros de Daniel e Apocalipse para si mesmo. Ele sentiu responsabilidade de compartilhar essas informações inestimáveis, mas levou algum tempo para ele embarcar nesse empreendimento. Apesar de sua timidez, ele se tornou uma voz poderosa ao proclamar a proximidade da segunda vinda de Cristo.

3. Ele abandonou sua zona de conforto:
Miller poderia ter continuado a viver uma vida confortável, mas, em vez disso, dedicou-se incansavelmente a esse grande trabalho. Saber o que é certo é fundamental, mas fazer o que é certo é muito mais difícil. Ele derrotou o Golias interior de conveniência que todos temos dentro de nós. Às vezes, Miller pregava diariamente, e às vezes até várias vezes ao dia, testemunhando seu fervoroso compromisso.

É útil seguir bons exemplos. Deus deu a Guilherme Miller a força para superar suas fraquezas humanas demais e se tornar um homem capaz de exemplificar o que é heroísmo para nós.

Johannes Kovar
Professor, Seminário Teológico de Bogenhofen, Áustria

Leitura correspondente no livro GC:
http://ellenwhite.cpb.com.br/livro/index/1/317/342/uma-profecia-muito-significativa

COMENTÁRIO sobre O Grande Conflito, cap. 17 – A Esperanca que Infunde Alegria

Texto original:
https://www.revivalandreformation.org/bhp/en/sop/gc/17

Quando eu tinha 12 anos, tive um professor que estava convencido de que o mundo não poderia durar mais dois anos. Como resultado, grande parte da minha vida adulta jovem me surpreendeu. Eu não esperava me formar no ensino médio, na faculdade, nem me casar, nem ter filhos. Jesus estava sempre no virar da esquina e os eventos que prediziam Sua chegada aconteciam todos os dias. Minha empolgação era alta, mas é difícil manter a empolgação no topo da montanha, ano após ano. Lembra da parábola das dez damas de honra? Até as que estavam bem preparadas adormeceram.

Isso aconteceu quando Jesus veio pela primeira vez. Os profetas haviam predito o tempo, o lugar e as circunstâncias de Sua chegada, e ainda assim poucos estavam prontos para recebê-Lo. Cheios de orgulho, auto-suficiência e formas de religião, a maioria sonhava pacificamente com um Messias que lhes traria dinheiro e poder, não humildade e sacrifício.

Jesus ainda está voltando. Nossa liberdade de culto e acesso à Bíblia é maior agora do que em muitos séculos anteriores, mas muitas Bíblias acumulam poeira na prateleira. O diabo trabalha duro para nos convencer de que as preocupações do dia são mais importantes que a preparação para o futuro. Nossa única segurança é manter vivo esse relacionamento com Deus diariamente, por meio da oração, estudo da Bíblia e compartilhar o evangelho com outras pessoas. Vamos prometer nunca deixar nosso amor por Deus morrer devido à negligência.

Lisa Ward
Tesoureira da igreja ASD Vida no Campo
Cleburne, Texas EUA

Leitura correspondente no livro GC:
http://ellenwhite.cpb.com.br/livro/index/1/299/316/a-esperanca-que-infunde-alegria