O DESEJADO DE TODAS AS NAÇÕES, cap 15

Fico tocada com a história em que Maria, no casamento, pede ajuda a Jesus a respeito do suco que havia acabado. Ela nunca O tinha visto fazer um milagre, mas confiantemente pediu ajuda! Jesus disse que ainda não havia chegado o Seu tempo. Mesmo assim, para não decepcioná-la, Ele ajudou.

Eu me identifico com essa história. Também orei por coisas que eram difíceis de acontecer. Quando vim para este programa de treinamento bíblico, não queria depender financeiramente dos meus pais. Tinha minhas razões. Orei durante meses pedindo dinheiro para frequentar a escola. Então, num dia de colportagem, no último inverno, encontrei uma senhora (não adventista) que decidiu me adotar (!) como filha e tem me enviado dinheiro todos os meses. Graças a essa resposta à oração tenho podido frequentar a escola! Jesus me ajudou como ajudou a sua mãe. Ele não quis me decepcionar.

Jesus submetia seus planos a Deus. Eu precisava fazer isto também. Quando deixei as selvas de Sabah, foi para estudar medicina e tornar-me uma boa médica. Mas enquanto estudava, Deus me mostrou que Ele tinha um plano diferente para mim. E foi assim que acabei estudando evangelismo ao invés de medicina. Jesus me ensinou que preciso estar disposta a submeter-me ao plano melhor que Ele tem para a minha vida.

Prescella Francis
Sabah, Malásia
Instituto de Treinamento do Leste Asiático


Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=12831
Tradução: Kelly Santos e Jobson Santos

BLOG DA SEMANA 25/02/2018, sobre O Desejado de Todas as Nações, cap. 14

Antes de Cristo começar Seu ministério, Deus havia preparado João batista para dar uma mensagem especial a todas as pessoas. João convidava o povo  a se arrepender dos seus pecados, entregar a vida a Deus e se batizar. João não tinha autorização do Sinédrio. Mas ele não se preocupava com isso. Ele fazia o seu trabalho. Sabemos que Cristo também nos chama a convidar as pessoas para se arrependerem dos seus pecados.

Dois anos atrás, eu me tornei o único cristão na minha aldeia. Agora estou me preparando para dar a mensagem de advertência de Deus aonde moro. Será que terei permissão das autoridades de lá? Se eles não quiserem que eu compartilhe o evangelho, devo parar? A história de João me dá a resposta. Ele fez o trabalho que Deus lhe havia confiado e colocou nisso todo o seu coração.

Colocamos toda a nossa força, mente e coração em realizar o trabalho de pregar o evangelho, que Deus nos deu em Marcos 16:15? Sabemos que, quando trabalharmos para Deus, muitas coisas acontecerão conosco. Satanás tentará encontrar maneiras de nos impedir. Precisamos suportar as provações que nos alcançarem. João batista também enfrentou muitas coisas, mas ele seguiu avante realizando o trabalho a ele confiado.

Quando eu terminar meu treinamento no Instituto de Treinamento do Leste da Ásia, eu também vou começar a trabalhar para Deus. E eu quero suportar as provações como João suportou.

Daem Da
Camboja

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=12830
Tradução: Jobson Santos, Jeferson Quimelli e Gisele Quimelli

 

 

BLOG DA SEMANA 18/02/2018, sobre O Desejado de Todas as Nações, cap. 12-13

“Ninguém abandona jamais as fileiras do mal para o serviço de Deus, sem enfrentar os assaltos de Satanás” (DTN 71.5).

Certamente seremos tentados em nossa jornada para a terra prometida! Mas o poder para vencer as tentações, de que precisamos, já nos foi dado. Contudo devemos escolher ser vitoriosos em Jesus. Podemos escolher superar as fraquezas que recebemos dos pais e as fraquezas que provêm de nossos próprios erros. Deus nos deu uma bela promessa em Sua palavra: “Graças a Deus que nos dá a vitória através de nosso Senhor Jesus Cristo”. 1 Coríntios 15:57

Nas tentações de Jesus no deserto, podemos descobrir como Jesus venceu o maligno. A Palavra de Deus era sua defesa para cada tentação. Portanto é importante memorizarmos a Palavra de Deus e enfrentarmos todas as tentações com um “assim diz o Senhor” e um “Está escrito”. Algo que eu também aprendo da estada de Jesus no deserto é não brincar com a tentação. Se me demoro ao redor da tentação, eu me torno o meu próprio tentador. Fugindo da tentação e vivendo pela fé nas promessas, a vitória fornecida por Jesus pode ser minha e sua.

Argentina Vanegas
Preceptora no Instituto de Treinamento para o Leste Asiático
Malásia

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=12829
Tradução: Jobson Santos, Jeferson Quimelli e Gisele Quimelli

 

BLOG DA SEMANA 11/02/2018, sobre O Desejado de Todas as Nações, cap. 10-11

Quando João Batista desenvolveu o gosto por morar no deserto? Foi depois que começou seu ministério público? Não, desenvolveu quando era criança. Fico impressionado com a semelhança de sua vida com a de Enoque. Estes dois homens santos tinham moradias em meio às belezas da natureza. E enquanto estavam sozinhos nesses lugares especiais, eles comungavam com Deus. Ali João lia as Escrituras. Nós lemos que o deserto era “sua escola e seu santuário”.

Atualmente eu moro na Malásia. E, como fiz em todos os lugares onde vivi nos últimos vinte anos, encontrei meu próprio lugar privado longe da atividade humana. É mais fácil aqui na Malásia. Eu tenho uma caverna pessoal em uma montanha na selva adjacente à minha casa. E naquela caverna eu amo sentar, ler e orar enquanto observo lá fora a vegetação exuberante.

Entretanto, Enoque e João também faziam visitas às cidades a fim de serem uma benção. Nós também temos os dois elementos em nossa própria experiência? Algumas pessoas que são altamente devocionais em seus retiros rurais nunca realmente testemunham acerca de Jesus nas cidades. E algumas pessoas que vivem como crentes na cidade nunca realmente conseguem momentos devocionais sagrados em meio à natureza.

Você e eu precisamos das duas experiências. Conectamo-nos a Jesus em ambas. Enoque foi trasladado enquanto estava em seu retiro. João encontrou seu Mestre enquanto servia a multidão. Quanto a mim, eu sei que preciso de ambas as experiências para me manter saudável espiritualmente. E suponho que isso seja verdade para todos nós.

Eugene Prewitt
Diretor de publicações
Missão Peninsular da Malásia

Texto original: https://www.revivalandreformation.org/?id=12828    
Tradução: Jobson Santos, Jeferson Quimelli e Gisele Quimelli